Conhecimento das enfermeiras de um município baiano sobre as práticas integrativas e complementares em saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.2022.e4476

Palavras-chave:

Enfermagem, Práticas Integrativas, Atenção Básica

Resumo

OBJETIVOS: Analisar o conhecimento sobre as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) por parte das enfermeiras da Atenção Básica do município de Santo Estêvão - BA. MÉTODOS E MATERIAIS: Trata-se de um estudo de campo, de abordagem qualitativa, com quinze enfermeiras das Unidades de Saúde da Família do referido município. A coleta de dados se deu em duas etapas utilizando questionário e entrevista semiestruturada. Foi utilizada a análise descritiva para os dados do questionário e a análise de conteúdo para os dados da entrevista. RESULTADOS: As enfermeiras do município não possuem formação para atuação com PICS, bem como demonstram pouco aprofundamento no conhecimento das práticas e ainda reforçam argumentos biomédicos para justificá-las no SUS. Apesar disso, reconhecem o potencial das PICS no cuidado complementar e atendimento humanizado, e apontam como desafios e impossibilidades para a materialização de uma política municipal as lacunas na formação especializada e a ausência de incentivo financeiro. CONCLUSÃO: Reconhece-se o potencial das enfermeiras, no município de Santo Estêvão - BA, sensibilizadas e mobilizadas para o processo de discussão sobre implantação das PICS como recursos terapêuticos que podem ampliar o cuidado à saúde de toda comunidade assistida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

(1) Telesi Júnior E. Práticas integrativas e complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estudos avançados. 2016;30(86):99-112. https://doi.org/10.1590/S0103-40142016.00100007

(2) Habimorad PHL, Catarucci FM, Bruno VHT, Silva IB, Fernandes VC, Demarzo MMP, et al. Implementation of Brazil’s National Policy on Complementary and Integrative Practices: strengths and weaknesses. Ciência & Saúde Coletiva. 2020;25(2):395-405. https://doi.org/10.1590/1413-81232020252.11332018

(3) Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção Primária à Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2018. Available from: https://aps.saude.gov.br/biblioteca/visualizar/MTM0NQ

(4) Azevedo C, Moura CC, Corrêa HP, Mata LRF, Chaves ECL, Chianca TCM. Complementary and integrative therapies in the scope of nursing: legal aspects and academic-assistance panorama. Escola Anna Nery. 2019;23(02). https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2018-0389

(5) Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa [Internet]. 2017;5(7)01-12. Available from: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/82

(6) Minayo MCS, Deslandes SF, Cruz Neto O, Gomes R. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade [Internet]. Petrópolis: Vozes; 1994. Available from: https://wp.ufpel.edu.br/franciscovargas/files/2012/11/pesquisa-social.pdf

(7) Santiago MECF. Práticas Integrativas e Complementares: a Enfermagem Fortalecendo essa Proposta. Uniciências [Internet]. 2017;21(1):50-54. Available from: https://seer.pgsskroton.com/index.php/uniciencias/article/view/4646

(8) Nascimento MC, Romano VF, Chazan ACS, Quaresma CH. Professional education in complementary and alternative medicine: challenges for the public universities. Trab. Educ. Saúde. 2018;16(2):751-772. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00130

(9) Tesser CD, Sousa IMC, Nascimento MC. Traditional and Complementary Medicine in Primary Health Care in Brazil. Saúde debate. 2018;42(1):174-188. https://doi.org/10.1590/0103-11042018S112

(10) Menezes APR, Moretti B, Reis AAC. The future of the SUS: impacts of neoliberal reforms on public health – austerity versus universality. Saúde debate. 2019;43(5):58-70. https://doi.org/10.1590/0103-11042019S505

(11) Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção Primária à Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde. Available from: https://aps.saude.gov.br/smp/smpoquee

(12) Malta BCS, Malachias LB, Magalhães TA, Maia JS, Figueredo LP. Práticas integrativas e complementares e suas aplicabilidades nos campos de formação e atuação de enfermeiro. Revista PubSaúde. 2021;5(108). https://dx.doi.org/10.31533/pubsaude5.a108

(13) Mendes DS, Moraes FS, Lima GO, Silva PR, Cunha TA, Crossetti MGO, et al. Benefits of integrative and complementary practices in nursing care. Journal Health NPEPS. 2019;4(1):302-318. http://dx.doi.org/10.30681/252610103452

(14) Caires JS, Andrade TA, Amaral JB, Calasans MTA, Rocha MDS. A utilização das terapias complementares nos cuidados paliativos: benefícios e finalidades. Cogitare Enferm. 2014;19(3):514-520. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i3.33861

Publicado

2022-07-25

Como Citar

Rios, P. S. dos R., Novaes, A. L., dos Santos, I. B., Ribeiro, M. A. de J., & Barboni, V. G. de A. V. (2022). Conhecimento das enfermeiras de um município baiano sobre as práticas integrativas e complementares em saúde. Revista Enfermagem Contemporânea, 11, e4476. https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.2022.e4476

Edição

Seção

Artigos Originais