Terapia manual na recuperação funcional pós-entorse lateral de tornozelo: revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i3.2341

Palavras-chave:

Entorse de tornozelo. Lesões de tornozelo. Terapia Manual.

Resumo

INTRODUÇÃO: O tornozelo é considerado uma das regiões do corpo mais propensa às lesões esportivas, sendo 70% dessas lesões entorses de tornozelo. A recidiva de entorses pode provocar um prejuízo crônico na função proprioceptiva e sensório-motora. Não existe um tratamento específico para as entorses, sendo utilizados protocolos como o PRICE, abordagem passiva, imobilização da articulação e terapia manual. OBJETIVO: Trazer informações mais consistentes que elucidem os efeitos da terapia manual na recuperação da funcionalidade do paciente. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de uma revisão sistemática baseada no PRISMA, com buscas realizadas nas bases de dados: PubMed, SciELO, LILACS e PEDro. Foram pesquisados apenas ensaios clínicos randomizados, com avaliação maior ou igual a 5/10 na escala PEDro, nos idioma português e inglês. Os estudos deveriam incluir população com idade entre 18 e 60 anos utilizando técnicas de terapia manual como: Mulligan, Maitland, mobilização neural, massoterapia, liberação miofascial, pompage e alongamento passivo. RESULTADOS: Foram incluídos 7 artigos com um total de 300 indivíduos. Os estudos incluídos investigaram a recuperação da funcionalidade de pacientes submetidos à terapia manual. Limitações: heterogeneidade no tempo de lesão. CONCLUSÃO: Os resultados evidenciaram melhora na capacidade física para correr, saltar, pousar e realizar movimentos de corte e laterais, melhora da cinemática, marcha, distribuição de descarga de peso e função global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-07-29

Como Citar

Oliveira, I. M. de, Sacramento, M. de S. do, Oliveira, A. M. de, Cadidé, Y. P., Morais, M. P. G., & Barros, E. S. dos S. P. (2019). Terapia manual na recuperação funcional pós-entorse lateral de tornozelo: revisão sistemática. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 9(3), 386–395. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i3.2341

Edição

Seção

Revisões de Literatura