SINTOMAS OSTEOMUSCULARES EM FISIOTERAPEUTAS E ENFERMEIROS NO AMBIENTE HOSPITALAR

Autores

  • Carolina Barbosa da Silva Faculdade Social da Bahia
  • Caroline Souza Andrade Rocha Faculdade Social da Bahia
  • Márcio Massao Kawano Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Mansueto Gomes Neto Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Bruno Prata Martinez Hospital Aliança, Faculdade Social da Bahia, Hospital Cidade.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v4i3.437

Palavras-chave:

Transtornos Traumáticos Cumulativos, Fisioterapeutas, Enfermeiros, Hospital

Resumo

Objetivo: Descrever os sintomas osteomusculares em fisioterapeutas e enfermeiros em um hospital na cidade de Salvador-Bahia. Material e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado entre agosto e novembro de 2010, utilizando-se como instrumento o Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares. Outras variáveis avaliadas foram carga horária e tempo de atuação profissional. Resultados: Dos 76 profissionais avaliados, 43 eram fisioterapeutas e 33 enfermeiros, com idade média de 28,6 ± 4,4 anos e IMC 24,1 ± 5,4 kg/m². O tempo de atuação foi 3,5 ± 4,1 anos e a jornada de trabalho semanal 46,8 ±18,5 horas. Houve predomínio de sintomas osteomusculares na região lombar(60,5%) e nas costas(46,5%) em fisioterapeutas e no pescoço(60,6%) e ombros(54,5%) nos enfermeiros. As mulheres apresentaram maior ocorrência em relação aos homens no pescoço (57,1% vs 33,3%; p=0,047) e nos ombros (49% vs 14,8%; p=0,003). Os enfermeiros tiveram maior ocorrência de problemas do que os fisioterapeutas nos ombros (54,5% vs 23,3%; p=0,005) e quadril (24,2% vs 7%; p=0,034), sendo que os profissionais com jornada superior a 44 horas semanais tiveram maiores repercussões nas atividades de vida diária (12,9% vs 0%; p=0,013). Conclusão: A frequência de sintomas nos enfermeiros e fisioterapeutas no ambiente hospitalar foi elevada nas regiões lombar, ombros, punhos e cervical, provavelmente devido as atividades laborais e posturas inadequadas. Outro dado preocupante é o pequeno tempo de atuação profissional, o que sugere a necessidade de realização de medidas preventivas para não evolução e agravamento dos sintomas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Carolina Barbosa da Silva, Faculdade Social da Bahia
    Fisioterapia / Hospital.
  • Caroline Souza Andrade Rocha, Faculdade Social da Bahia
    Fisioterapia / Hospital.
  • Márcio Massao Kawano, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
    Fisioterapia
  • Mansueto Gomes Neto, Universidade Federal da Bahia (UFBA)
    Fisioterapia.
  • Bruno Prata Martinez, Hospital Aliança, Faculdade Social da Bahia, Hospital Cidade.
    Fisioterapia / Hospital.

Downloads

Publicado

09.03.2015

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

1.
Barbosa da Silva C, Souza Andrade Rocha C, Massao Kawano M, Gomes Neto M, Prata Martinez B. SINTOMAS OSTEOMUSCULARES EM FISIOTERAPEUTAS E ENFERMEIROS NO AMBIENTE HOSPITALAR. Rev Pesq Fisio [Internet]. 9º de março de 2015 [citado 30º de maio de 2024];4(3). Disponível em: https://journals.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/view/437

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)