Experiência de enfermidade crônica: implicações do viver com adoecimento para o cotidiano de quem adoeceu

Autores

  • Aline Tonheiro Palmeira Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Antônio Marcos Chaves Universidade Federal da Bahia, Instituto de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i1.1766

Palavras-chave:

enfermidade crônica, experiência de enfermidade, narrativa, cronicidade

Resumo

O adoecimento crônico apresenta-se como um fenômeno em que a participação de múltiplos campos do saber torna-se necessária para a sua compreensão. Este artigo teve como objetivo discutir a experiência de enfermidade de sete sujeitos com dor e insuficiência renal crônicas, na perspectiva da pesquisa qualitativa nas Ciências Humanas em saúde. Foram realizadas entrevistas narrativas e análise narrativa temática, cujos resultados envolveram três elementos: a presença de limites; a morte como próxima do viver e a vida como algo obrigatório. A experiência de enfermidade crônica aponta para o quanto o isolamento e o sofrimento estão presentes no cotidiano de quem adoeceu, solicitando de todos os envolvidos (equipe de saúde, sociedade, quem adoeceu e seus familiares) participação nas mudanças para que o adoecimento crônico seja vivido com menos sofrimento e ameaça à vida. 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Aline Tonheiro Palmeira, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
    Escola de Medicina e Saúde Pública, curso de Psicologia, Psicologia da Saúde
  • Antônio Marcos Chaves, Universidade Federal da Bahia, Instituto de Psicologia
    Instituto de Psicologia, Psicologia Social

Downloads

Publicado

16.03.2018

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

Experiência de enfermidade crônica: implicações do viver com adoecimento para o cotidiano de quem adoeceu. (2018). Revista Psicologia, Diversidade E Saúde, 7(1), 27-37. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i1.1766